Elisabete Rodrigues

Meus Textos, Minha Vida

Textos


Um navio, um barco, uma lancha, etc... Tudo está seguro no porto, mas não é para isso que foram feitos.
Da mesma forma somos nós. Como?
A maioria de nós possuimos navios fascinantes, outros possuem barcos impressionantes, ou lanchas apaixonantes.
Belas metáforas se as compararmos com os talentos, habilidades, sonhos e objetivos que cada um de nós temos em nossa vida.
Contudo, os resultados que vamos obter dos nossos projetos e ideais dependem da capacidade de acreditarmos em nosso potencial e das nossas ações em direção ao que pretendemos alcançar.
Já repararam como uma boa parte das pessoas ficam apenas 'amarrada ao porto' com seus talentos, sonhos, e objetivos, assistindo pacificamente aos 'aventureiros' que deixam o conforto do porto e a estabilidade e segurança do seu espaço e partem em busca de grandes aventuras, lugares exóticos?
Sabem os aventureiros, alguns deles vão velejando lentamente, outros se distanciando em alta velocidade, enquanto outros ficam batendo na esteira e balançando no cais.
Para alguns, o que os impede de partirem para o mar?
Será o medo de enfrentar as tempestades, as grandes ondas? Será o medo de falhar ou de ser avaliado? Será o hábito de concentrar-se mais nas coisas que podem dar errado?
Sem dúvida, para muitas pessoas esses sentimentos as impedem de deixarem a segurança do porto sem se dar conta de que o porto é apenas um lugar para se abastecer.
A oportunidade de aprender a confiar em si mesmo, a possibilidade de crescer, de vencer os medos e de superação está exatamente em enfrentar as dificuldades.
Certa vez eu li: Às vezes Deus acalma o mar, outras vezes Ele acalma o marinheiro, mas em determinadas ocasiões você tem que aprender a nadar. Nada mais verdadeiro.
Nós temos habilidades, propósitos, um ideal, um sonho e uma única vida. Ficar no porto amarrado, ancorado, definitivamente não é a finalidade.
A vida honra os movimentos ousados, com atitudes prudentes e riscos calculados.
Que atitudes ou ações podem inspirar os desbravadores dos mares, os conquistadores de sonhos a avançarem mar adentram em direção as suas metas?
Bora lá?
O desejo de conquistar. Longe de se imaginar preso ao porto, sem desafios, contentando-se com menos do que poderia ter, o conquistador tem seu desejo impulsionado pelo ânimo, pela motivação e determinação.
Persistência. Os ventos podem até mudar a direção, mas não a sua decisão. O conquistador enfrenta os desafios, refaz a sua rota quando precisar, mas jamais abandona seus sonhos. Eles são a sua bússola, eles indicam o caminho a seguir.
Autoconfiança. O medo de mudar é uma âncora que impede o ser de navegar pelo mar da vida. Por isso o conquistador tem que confiar em si, em seus sonhos, pensar positivamente. E esse pensar positivo significa estar ciente de que o simples fato de acreditar não garante que irá conseguir o que quer, mas vai desafiá-lo a continuar, a perseguir seu ideal, a encontrar soluções para alcançar seus objetivos.

E você? Onde está o seu barco, seu navio, sua lancha? 
Ninguém nasceu para ficar à beira do cais contemplando os navios, os barcos, as lanchas ganharem o mar.
A mudança é parte da nossa vida, nosso mundo. Com o Tempo tudo muda, aliás, amo o Tempo, e sou o tipo de pessoa que mais deseja o Tempo para os outros, já que tem coisas que levam Tempo e tem coisas que o Tempo leva, o Tempo é revelador, bom Tempo a todos, boa sorte no Tempo. 
Vamos tirar a âncora que nos prende e começar a velejar, não importa se lentamente ou em alta velocidade, o importante é partir, e boa viagem a todos nós! 
Quem sabe nos encontraremos em algum porto para reabastecermos e contarmos as novidades das nossas aventuras!!!
https://www.elisabeterodrigues.blog.br/2020/01/foto-locacao-lancha-pra-mim-elisabete.html
Elisabete
R💋drigues
 
 
Elisabete Rodrigues
Enviado por Elisabete Rodrigues em 03/01/2020
Alterado em 27/01/2020


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Tweet